quarta-feira, 20 de junho de 2012

Diamante




Diamante roubado...
O cheiro já não mais é o mesmo,
os prismas diferem o tempo,
refletem outros brilhos...

Quando foi permito o furto?
Partida silenciosa,
formas em outras mãos...
Quão silêncio outrora.

Diamante roubado...
de cabelos negros pintados,
pele branca e corpo farto...
Em que mãos passaram...?

Quando foi permito o furto?
O desejo permanece...
Não esquece um diamante,
... O desejo permanece...

Lúcio Vérnon