terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Lágrima de sonho



Lágrima de sonho

Vejo formas que passam
e desejo tocar;
formas que me embalam,
e que não são tuas....

Sinto mãos e sinto toques,
e que talvez deseje;
sinto o titubear do peito,
porém, não é o teu...

E beijo o agreste lábio,
sem sentir o gosto;
lábios também macios,
mas que não são seus...

Durmo ao colo, sonho talvez,
me transporto sem sair;
sonho de morena e lua, e rio,
e estás ali parada, eu longe...

Lúcio Vérnon