quinta-feira, 12 de setembro de 2013

Interior



Shhh! Bate à porta...
- Silêncio, não ouço o grito!
- Onde foi tão triste?
- Por quê brinca tanto com palavras?

Shhh! Quero pensar!
A máscara já não cabe ao rosto,
e lacônico, sorri ao espelho
sozinho, como sempre foi...

Como sempre foi, apressado.
Leque amplo de visão
tudo quer... Tudo não pode ter.
- Shhh! Mas calma... Calma...

Se muito insistir, muito se vai,
e esvai em desejos mesquinhos
de nada querer, de tudo sentir.
esquecendo-se da própria existência.

- Shhh! Paciência... Mais paciência,
que o descontrole, controla sua mente,
e mente às verdades comprovadas,
que lhe acerca de pura realidade.

Lúcio Vérnon