quinta-feira, 10 de março de 2011

Suicídio



Suicídio

Sorriso atrofiado,
Humor em doses apáticas,
inconstância de pensamentos,
Sentimentos na lixeira...

- E tudo não passou de ilusão...
todos os risos, olhares, carícias;
talvez palavras. Máscara de ilusões.
E agora é tão difícil continuar...

Um passo de cada vez,
um dia após o outro,
nenhum momento retorna,
só as lembranças choram.

- Esvai-se todos os toques,
como poeira ao vento,
E lembranças não são esquecidas
como deveriam. Muito difícil continuar.

Um poema após o outro...
Um poeta abdicando de ser.
 Um homem desejando sair.
- Já não quero continuar.

Lúcio Vérnon