quarta-feira, 19 de março de 2008

Para ti.

Sinceridade

Não lhe direi que sou igual Todos lhe disseram isso... Não lhe direi que serei perfeito, A perfeição é evolução constante. Direi apenas que sou sempre igual Mas igual a todos que ainda não viu. Não lhe direi que confies cegamente, O abrir os olhos nos mostra os sentimentos, E não lhe direi que sentimentos são eternos... Todos lhe dizem isso na hora que querem. Apenas direi que sinto na verdadeira palavra. Sentimento não são verdadeiros quando só juras.

Não lhe direi que nunca haverá problemas, Isso também tais tolos dizem para conquistar. E não farei crer que as soluções são fáceis assim. Direi que não tenhas medo continue a observar A solução estará em nossa frente sempre, Apenas direi me dê a mão e vamos caminhar... Não lhe pedirei provas de sentimentos... Sentimentos não se provam, sentem apenas. E então, apenas lhe direi que estou aqui... Com todo meu besta sentimentalismo sentimental. Desejando-te não como alguém diferente, mas igual, Desejando teu corpo e teu ser, e no fim ser um apenas.

Lúcio Vérnon.®