terça-feira, 15 de janeiro de 2008

Pierrot

PIERROT

E ainda tento sorrir... Enquanto cavalgo pelas campinas; Mas a lágrima cai... Sempre cai... O cavalo pára e eu continuo a rolar...

E ainda tento sorrir... Com minha face manchada do pó, Com meu corpo, ferido n’alma... Com meu riso forçado de dor latente... A maquiagem esconde minhas expressões; Mas a lágrima cai... Ela sempre cai... Borrando o rosto alvo e doentio por trás; Assuntando quem vê... Deveria ser engraçado.

E ainda tento sorrir... Meu riso pálido, entre choros secretos; Nos cantos que ouço dos cantos que fico... Ainda assim tento sorrir... Na força que faço...

Lúcio Vérnon®