domingo, 27 de janeiro de 2008

Poema Além da Matéria.

Além da Matéria. Quem sabe fosses tu... Correndo para qualquer canto, Chorando o azar de não ter, Sofrendo a negação própria... Quem sabe apenas a vi Em imaginações férteis... Quem sabe talvez só um sonho, Quem sabe ainda nada mais além... Já faz muito tempo... Sim... O tempo não ajuda ninguém, As lembranças continuam, E o sono chega com outros sonhos. Quem sabe não fostes apenas um sonho, Que verdadeiramente aconteceu por aí... Que não se deixa esquecer dormindo... Que não vai voltar simplesmente... Fim... Já faz algum tempo... E o sofá ainda lembra teu cheiro. E a boca ainda lembra teu beijo... E as palavras não falam nada mais além. Quem sabe além da matéria exista você, Sorrindo com vestido branco florido... Esperando o momento com braços abertos, Falando meu nome em sonhos também... Lúcio Vérnon®